CategoriaRespire

Você acabou de concluir o seu texto, colocou todas as suas ideias no papel. Olhe seu trabalho, orgulhe-se dele. Parabenize-se pela caminhada, porque só você conhece cada uma das horas dedicadas a ela e todos os problemas (internos e externos) que enfrentou para chegar até aqui.

Agora, coloque o seu projeto para dormir. Nada de sair espiando o resultado, nem um pouquinho. Agradeça e descanse.

Nessa fase, você vai se permitir esquecer tudo o que escreveu. Desligue-se do texto e vá fazer qualquer outra coisa. Vá viver em qualquer lugar longe das suas ideias, faça qualquer atividade que te afaste ao máximo do que você acabou de produzir. Você merece descansar.

Não há texto que não se transforme aos nossos olhos depois de um tempo e uma boa noite de sono. Mas lembre-se: você merece descansar desse texto – o que não te impede de iniciar outro, se quiser. Afinal, quem precisa dormir, de fato, é o texto, não você.

6 atitudes para diminuir a ansiedade durante a quarentena

6
6 atitudes para diminuir a ansiedade durante a quarentena

Se a rotina normal já nos torna vulneráveis, ansiosos e apreensivos, é ainda mais complicado manter a calma ao viver uma situação que mistura incertezas em relação ao futuro com a rápida necessidade de adaptação.  Pensando nisso, decidi produzir um artigo especial com práticas simples para te ajudar a diminuir a ansiedade durante a quarentena e sair dessa uma pessoa melhor depois que o...

A Arte de Pedir – 10 lições que ninguém nos conta quando decidimos ser escritores

A
A Arte de Pedir – 10 lições magníficas sobre como ser um escritor melhor

Em uma madrugada insone, peguei meu kindle e busquei algum livro, sem saber muito bem o que queria ler. Depois de passear pelos títulos da minha biblioteca, escolhi o livro A Arte de Pedir, escrito pela musicista Amanda Palmer. Amanda ganhou notoriedade mundial após o seu TED-Ed homônimo. Mal atingi os 2% de leitura para morder a língua: aquilo era tudo o que eu precisava ouvir! Amanda Palmer é...

Querida Literatura: uma carta-manifesto declarando meu amor à literatura

Q
Querida Literatura: uma carta manifesto declaração de amor à literatura

Querida Literatura, Quero escrever-te uma carta e até desconheço a razão pela qual tal desejo não me ocorrera antes, já que com você vivo uma das relações mais duradouras da minha vida. Em sua companhia aprendi quase tudo que sei. Aliás, companhia é um sinônimo seu. Os primeiros anos Confesso, um pouco envergonhada, que não sei ao certo como nossa amizade começou. Lembro-me bem, no entanto, da...

Quem escreve sobre escrita

Mylle Silva

É escritora, roteirista de histórias em quadrinhos e instrutora de escrita criativa. Formada em Comunicação Social, ministra oficinas e ajuda pessoas a transformar ideias em histórias e sonhos em projetos.

Artigos